Hora de embarque : aquela palavra que me lembra que vou deixar o meu país outra vez. Essa deve ser a palavra que mais ouvi na vida, ...

Hora de embarque

terça-feira, janeiro 24, 2017 MeiaLeca 3 Comments


Hora de embarque: aquela palavra que me lembra que vou deixar o meu país outra vez. Essa deve ser a palavra que mais ouvi na vida, mas nunca percebi, tão bem quanto hoje, o verdadeiro peso dela. A pior parte já passou - pelo menos deveria ser assim. Mas não. Todo o caminho até ao aeroporto é uma angústia total. Sofro por tentar esconder as lágrimas e por achar que estou, mais uma vez, a ser pieguinhas. Mas há coisas que nunca vão mudar, não é? Tento acalmar-me. Porém, é na hora de fazer o check-in que volto a sentir aquele aperto no coração que me quebra aos pedacinhos. A minha voz treme e já não há mais nada a fazer. Choro, choro e choro baba e ranho ao dizer adeus aos meus pais. O meu pai ainda se contém, mas a minha mãe é das minhas - não se segura, e chora também. Perdi a conta dos abraços de despedida, pesagens de bagagem na correria do aeroporto de Lisboa. A verdade é que, apesar das inúmeras idas e voltas carimbadas na minha vida, uma coisa nunca muda: viajo sempre com excesso de peso. Mas o que realmente é importante levar na mala nunca cabe… Apenas cabe a certeza de um último abraço sem data de reencontro.

Só sei que, por mais que o regresso à minha segunda casa (Paris) seja a cada dia menos doloroso - afinal, é o meu ninho de amor - sinto sempre saudades. Muitas saudades. Não sei bem porquê, mas há dias que custam sempre a passar. Hoje é um deles. Sinto tanto a falta dos meus amigos, família e país que o meu peito chega a doer. Egoísmo meu, talvez. Mas eu culparia o tempo. Ele, sim, deveria ser amigo e fazer-me habituar a este vazio. Mas não. O tempo é traiçoeiro e ainda me faz lembrar ao fim de 3 anos.


3 comentários:

  1. A hora de embarque é e será sempre a hora de embarque... não há volta a dar...
    Não consigo avaliar a dor que não se vê mas sei que tem dias que não dói e outros que dói até ao estômago e com um friozinho que embarga a voz.
    Amo-te minha sobrinha linda por fora e por dentro.

    ResponderEliminar